A IMPORTÂNCIA DO ENFERMEIRO COMO EDUCADOR ATUANDO NA PREVENÇÃO DE DOENÇAS E PROMOÇÃO À SAÚDE

THE IMPORTANCE OF NURSES AS EDUCATORS ACTING IN THE PREVENTION OF DISEASES AND PROMOTION TO HEALTH
Tatiane Melo Soares¹; Lourena Correia Góes Silva²; Clivesson Rodrigues do Rosário³.

RESUMO

Educação em Saúde está inserida dentro de um conjunto construtivo de conhecimentos contínuos, e o enfermeiro tem grande importância nesse contexto. Objetiva-se relatar a importância do enfermeiro como educador em saúde frente ao processo de cuidado ao paciente e descrever a importância da contribuição da enfermagem nas atividades de educação como medidas preventivas para diminuição dos agravos a saúde. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica do tipo integrativa de abordagem qualitativa, descritiva e exploratória, utilizando bases de dados indexáveis na BIREME, por meio dos descritores: “Educação em saúde; “Promoção da saúde”; “Enfermagem”, “Atenção primaria à saúde”. Foi observado que atividades educativas e de orientação desenvolvidas por enfermeiro, seja em grupo ou de maneira individual na assistência à saúde, com crianças, idosos ou gestantes, diminuem os agravos e riscos à saúde. Sendo necessitando ampliar o conhecimento dos profissionais de saúde atuantes na sociedade, onde por meio de seu papel educativo, possa promover saúde, tornando o papel do enfermeiro como mediador do conhecimento, essencial na assistência à saúde, favorecendo o autocuidado e a prevenção.

Palavras chave: Educação em saúde; Promoção a saúde; Enfermagem; Atenção primária à saúde.

ABSTRACT

Health Education is inserted within a constructive set of continuous knowledge, and nurses have great importance in this context. The objective is to report the importance of the nurse as a health educator in relation to the patient care process and to describe the importance of the contribution of nursing in education activities as preventive measures to reduce health problems. It is a bibliographical research of the integrative type of qualitative, descriptive and exploratory approach, using databases indexable in BIREME, through the descriptors: “Health education; “Health promotion”; “Nursing”, “Primary health care”. It was observed that educational activities and guidance developed by nurses, whether in a group or individually in health care, with children, the elderly or pregnant women, reduce the health risks and risks. Being necessary to broaden the knowledge of health professionals working in society, where through its educational role, can promote health, making the role of the nurse as a mediator of knowledge, essential in health care, favoring self care and prevention.

Keywords: Health education; Health promotion; Nursing; Primary health care.

REFERÊNCIAS

1. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Saúde Brasil 2008: 20 anos de Sistema Único de Saúde (SUS) no Brasil. Brasília, DF, p.416, 2009. Disponível em <encurtador.com.br/fjvwx>. Acesso em 15 fev 2018.
2. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde. Brasília, DF, p 60, 2010. Disponível em <encurtador.com.br/abwO8>. Acesso em: 15 fev 2018.
3. Gonçalves JR, Soares RA, Troll T, Cyrino EG. Ser médico no PSF: Formação acadêmica, perspectivas e trabalho cotidiano. Rev. Brasileira de Medicina. 2009; 33 (3):290-5.
4. Cortez EA, Valente GSC, Assis MM, Almeida VC, Chagas FS, Tórnio RA. O Enfermeiro no gerenciamento da educação em saúde da Estratégia Saúde da Família. Rev. de Enfermagem UFPE. abr./jun. 2010; 4 (2):149-57.
5. Costa GD, Cotta RMM, Ferreira MLSM, Reis JR, Franceschini SCC. Saúde da Família: Desafios no processo de reorientação do modelo assistencial. Rev. Brasileira de Enfermagem. Jan /fev 2009; 62 (1): 113-8.
6. Alves GG, Aertes D. As práticas educativas em saúde e a Estratégia Saúde da Família. Rev. Cienc. Saúde Coletiva. Jan 2011;16 (1): 319-25. Disponível em <encurtador.com.br/fhopH>. Acesso em 21 fev 2018.
7. Silva KL. Educação em enfermagem e os desafios para a promoção de saúde. Rev. Brasileira Enferm. jan/fev 2009; 62 (1): 86-9.
8. Fonseca JJS. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.
9. Brasil. Resolução, n° 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova as Diretrizes e Normas Regulamentadoras de Pesquisas Envolvendo Seres Humanos. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 13 de jun. 2013. Disponível em <https://goo.gl/Y53TMw>. Acesso em 27 de mar 2018.
10. Brasil. Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. Altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 20 de fev.de 1998. Disponível em <encurtador.com.br/fsO08>. Acesso em: 20 mar 2018.
11. Gonçalves GG, Soares M. A atuação do enfermeiro em educação em saúde: uma perspectiva para a atenção básica. 72f. Monografia (Graduação de Enfermagem) – Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium – UNISALESIANO, Lins-São Paulo, 2010.
12. Oliveira RL, Santos MEA. Educação em saúde na Estratégia Saúde da Família: conhecimentos e práticas do enfermeiro. Rev. Enfermagem Integrada. nov./dez. 2011; 4 (2): 833-44.
13. Mendes ALTM, Aperibense PGGS, Almeida Filho AJ, Peres MAA. Singularidades da formação e desafios na implantação. Escola Anna Nery Rev. de Enfermagem. Jan./Mar. 2015;19 (1): 11-17

Revista-Sou-Enfermagem-São-Luís-02(3)-20-31-julho-dezembro-2018